quarta-feira, 28 de março de 2007

Janela aberta


Janela aberta.
Horas e horas de sono perdido
expostas ao escrutínio implacável do Sol.


Será que o mar resistirá à força bruta da fuga das nossas almas?


De novo o aroma de novas folhas,
novos esmagamentos, cataclismos,
e vinhos cansados embora prematuros;
de novo o perfume da tua ausência
a passar com a tua sombra pelos lugares com pegadas frescas
onde não mais caminhas.
No início dos tempos,
deve ter havido apenas o recreio deserto
onde deixámos o olhar de lado.


É tão perfeito o avesso de todas as coisas.


Luz.
Sempre o mesmo pedaço de sonho e rebeldia,
ascensão e queda,
a invadir os meus olhos.
Do ponto de vista de quem se debruçou sobre todas as noites
e de todas guardou um pouco das vozes que foi ouvindo,
o amanhecer bem poderia ser uma maré baixa
onde cada traço é puro jogo
e as cores são um negócio à parte
entre o olhar e a dor
pelas mãos de um dia de fúria gravadas no rosto.
De espelho em espelho, nada seria distinto.


Colei-me ao dia porque a sedução da cegueira me fazia respirar além da janela.
Fui caminhante em terra árida,
e por instantes a revelação fez-me perguntar-me a mim mesmo:
"Como te chamas?"
"A quem persegues debaixo deste sol?"
Contudo,
notei que a minha barba continuava a brilhar como fogo,
como sempre,
à luz da ira e do sangue,
e percebi que eu ainda era outro
e que o meu nome ainda não me pertencia.


Eis que o dia tinha chegado.
Os anjos repetiram o seu voo estreito.
O vento prosseguiu o seu ditado.

5 comentários:

Seth, anjo sem asas disse...

Maravilhoso isso, e inacreditável que ninguém comente algo assim!

Achei mesmo demais!

Seth

Me disse...

Obrigado, Seth, pelo seu comentário. Espero que continue a passar por cá e a deixar-se tentar por entre o silêncio das palavras por dizer...

Do autor do blog.

palavras escritas disse...

Um grito de Liberdade?!
A Liberdade que a todos pertence por direito?

Belíssimas e profundas palavras... replectas de força e de sentido.

palavras escritas disse...

Correcção: repletas.
E aproveito para dizer que não vejo o email que me disseste que aqui tinhas!
Um abraço, que acompanha o meu desejo de que te sintas bem.

"What's in a name?" disse...

Obrigado pelos comentários, Palavras Escritas. Gostava apenas de referir que o meu e-mail (pelo menos o que está ligado ao blog) está acessível quando se clica no meu perfil para obter mais informações. Mas admito que ele está provavelmente demasiado escondido para que alguém o note. Por isso, obrigado por me chamares a atenção. Tratarei de o tornar mais evidente. Seja como for, aqui fica o endereço: tentacoesdosilencio@gmail.com. Também tenho mais um endereço, pessoal, não relacionado com o blog, mas esse só poderei revelar em privado. Continua a passar por cá. Serás sempre bem-vindo e acolhido com os braços abertos.