segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007

Cosmologia


Por vezes o silêncio consegue ser mais perturbador do que todos os ruídos e todos os clamores da multidão. Sempre que nos isolamos, sempre que mergulhamos nos nossos muitos lagos interiores onde o luar cria um terceiro reflexo da luz, tudo se torna possível. Tudo se faz criação. O amor e o seu gémeo ódio, ou apenas a indiferença, a coragem e o medo, a verdade e a mentira e as muitas dúvidas que nos fazem caminhar, tudo isso são várias faces de uma mesma realidade. A luz e as trevas acompanham-nos e ultrapassam-nos desde o início dos tempos. Quando por fim o fogo e o gelo se beijaram mutuamente e todas as divindades e criaturas surgiram, também as tentações ganharam forma nos lugares mais secretos da nossa mente. São elas as forças que nos provocam, que nos espicaçam, que nos ferem até à medula. Mas também elas nos renovam a cada incêndio, num constante renascer das cinzas. São as sereias diante das quais não devemos ficar surdos. Elas agitam as águas do nosso silêncio, e, a cada revisitação daquilo que sobrou de nós após o desejo e antes da luta, esse mesmo silêncio parece adentrar-se e enraizar-se mais e mais, até nos voltar a ligar à nascente. Numa das mãos a doçura, na outra a raiva. No coração de todas as coisas, este diálogo em tom de conflito continua a fazer girar o nosso Universo. Do debate nasce a luz. Do dilema nasce a liberdade. Do confronto nasce a paz. Do cruzamento de olhares nasce o amor. De olhos fechados. Numa total entrega ao que de mais profundo nos une.

1 comentário:

antigonadesejo disse...

Pegar nas palavras, conjugar o sentido, tocar o silêncio, ainda que seja cosmológico ou a fonte dos clamores, não deixa de ser algo. É uma tentação entre as tentações.
Espaço que nasceu agora, cheio de grande força, de grande profundidade e que estou a ler, confesso que está muito bonito, muito excelente.
Mergulha-se assim na profundidade da vida e tu estás a mergulhar, porque tens qualidades maravilhosas, excelentes, onde guarneces um dom superior ao que se pode pensar.
É com amor que surgem estas relíquias. Luz e trevas são tentação, mas o beijo confecciona a entrega do corpo e a aproximação do espírito. Amigo muito querido, neste sonho de palaras, estou contigo, para te dar o meu abraço e dizer-te que gosto muito de ti. Continua a escrever, quero ler imensos escritos teus. O futuro promete. Vai em frente e nunca deixes de lutar por o que realmente gostas.
A tua "Cosmologia" levará às tuas mãos o princípio do Verbo, com a sua dinâmica para um efusivo bem estar no Universo considerado e os teus desejos serão contemplados pelas beneses do amor. Respira no silêncio a paz da eternidade com a união de tudo o que é belo.
Abraçosss porque és uma pessoa lindaaaaaa
12.02.2007